Reprodução autorizada desde que mencionada à autora e o site www.psicologiaemanalise.com.br/

2 de agosto de 2017

"Nossos" pequenos pré-conceitos

Pré conceito é a palavra utiliza para se referir ao um conceito pré estabelecido, sem conhecimento de causa, uma opinião formada de forma erronia, muitas vezes sem entediamento prevido do fato ou da situação.

 O fato do Brasil ser uma pais de miscigenação, misturas de raças, etnias deferentes, era para ser também um lugar de maior aceitação e respeito as diferenças, mas não é isso que ocorre.

O pré conceito muitas vezes vem de dentro dos lares e se expande a outros ambientes, se tornando assim uma grande massa social de intolerância. Ainda se vive com modelos pré estabelecidos intrinsecados, arraigados na mente. Pior de tudo, acreditando que a não aceitação do outro, das escolhas do outro, das opções e condições do outro, dá o direito de ser deselegante, desrespeitoso.

 Para chegar a raiz do preconceito o sujeito tem que analisar dentro de si o que o faz acreditar que sua opinião, seus "conceitos" são onipotentes. A era da liberdade de expressão tomou conta da sociedade e as pessoas se apropriam dessa tal liberdade inconsequentemente.

Crer que pode ofender e destilar todos os seus pré-conceitos, sem antes entender o conceito. Para conceituar qualquer "coisa" e preciso buscar o entendimento a respeito dela, a história. Quando as as pequenas intolerâncias não são combatidas, elas crescem e se tornam gigantescas.

Aprender a alimentar sentimentos bons, comportamentos respeitosos e humanos é como plantar amor dentro de si. Saber que ninguém precisa ser igual a você para ser feliz. As diferenças ensinam, através de outros modos o ser humano crescer e aprende coisas novas.

Humilhar, utilizar-se de palavras e atos pejorativos para provocar, ofender, é uma forma de crueldade sim, o desprezo, a indiferença, machuca. Ninguém tem o direito de se achar melhor que o outro. É muito importante procurar se colocar no lugar do outro, desse sujeito muitas vezes ferido e machucado em suas emoções, em suas lutas e dignidade.

O primeiro ato de generosidade é a empatia.

O individuo só percebe que está curado de sua intolerância, do seu pré-conceito, quando ele não se sente ofendido e atingido pelo comportamento do outro, quando a forma de si vestir ou de falar, gostos e gestos, crenças, não lhe afeta em nada.

A tolerância parte dos respeito as diferenças, o respeito consigo e com os outros. Todo aquele que joga lama, também se suja um pouco. Então, devemos sempre lançar nossos atos no bem e para o bem, transmitindo coisas boas por onde passamos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, participe dessa construção!