Reprodução autorizada desde que mencionada à autora e o site www.psicologiaemanalise.com.br/

25 de dezembro de 2011

Então nasce o amor... É natal!


O amor é o símbolo de maior grandeza, ele representa o Natal que é o nascimento de Jesus. A maior prova de amor dada por Deus foi enviar seu filho para nos ensinar a amar. Modelo de solidariedade, afeto, fraternidade, Jesus trás lições importantes, que se aplicadas no dia a dia, a humanidade sofreria menos.
Cada ato de amor é Jesus que nasce e cresce, ou seja, amar é uma decisão, então quando se resolve amar, perdoar, bem dizer ao próximo, o sujeito se permite amadurecer, crescer pela sua transformação voltada para o bem.
A aprendizagem é diária, os atos de gratidão e bondade por menores que parecem são como sementes que sempre cultivadas e regadas iram dar frutos. Nada ocorre de imediato, o cuidado com a jardinagem interior é prova de amor, de confiança e esperança.
 Em cada gesto a uma centelha divina que nasce no mais profundo ser, a cada palavra de carinho, atenção, o sujeito está cuidando do seu mais precioso pomar.  A mente pode ser seu horto de flores, frutos e folhas verdes, mas para isso exigisse um pouco de trabalho, disciplina e vontade de mudar.
Aprender a olhar a luz, que de tão luminosa ofusca os olhos acostumados ao sofrimento, de principio causa temor, mas nada que o amor, a esperança no futuro próximo e prospero destrua tal medo. Quando o individuo decide em seu coração que deseja mudar e busca mecanismos que facilite sua mutação, o brilho da vida logo ressurge.
Tudo na vida é escolha, ao optar por exercer o bem, pela generosidade, pela paz, harmonia, pelo o maior sentimento que é o amor, o sujeito escolhe, planta, cultiva e colhe.  O amor trás renovação, transformação interior no ser humano.
Aprende-se a amar renunciando a tristeza, procurando meios de melhora pessoal. A mudança ocorre de dentro prá fora e não de fora prá dentro. Exterminar os “germes” nocivos que destroem que aniquilam o psiquismo é importante.
O ser divino está o interior de cada individuo só é preciso prestar atenção, fortalecer seu Eu interior, procurar um apoio se preciso. Permita que a vida, o natal renasça em pequenas atitudes diárias, continuas, no bem para o bem, no amor, para o amor.
Varra as correntes mentais que aprisionem seu ser, se liberte das amarras da indiferença, da raiva da imparcialidade angustiante e se oferte algo muito melhor. Reconheça que merece ser feliz e procure exercitar o amor pessoal, familiar e social.
Desejo a todos os leitores que pratiquem a bondade, a solidariedade e a fraternidade, que busquem o equilíbrio na pratica do amor genuíno. Que o natal não seja só o renascer, mas o crescer torna-se adulto na prática do afeto e que em cada coração exista uma atitude, um pensar positivo, que a luz do natal cintile e brilhe a vida e na vida de todos.
A mudança no pensar muda toda uma história.                                                                                              


Jacqueline Meireles
Psicóloga/Consultora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, participe dessa construção!