Reprodução autorizada desde que mencionada à autora e o site www.psicologiaemanalise.com.br/

24 de julho de 2009

Repetições e mitos famíliares

A familiar é um sistema complexo, seu papel é importante na manutenção dos mitos, consequentemente para repetições familiares. Os mitos são fundamentais para estrutura familiar, eles dão origem aos relacionamentos na própria família.

"Mediante a reconstrução de muitas histórias familiares, pode ser encontrado muitas famílias atribuindo determinados significados aos acontecimentos, que fortalecem ou não os sentidos trazidos de suas famílias anteriores que serão passada pela vivência em família."(Marilene Krom, p.11)

A família por si já representa um mito, seu funcionamento tem por parte a preservação dos mitos e crenças, na construção de suas histórias no passado sendo repetidas no presente, formando uma estrutura permanente no tempo.

No casamento não é diferente, o casal trás para a nova união conceitos de famílias diferentes, que necessitará de ajustes e adaptações, podendo estabelecer uma outra formação, se diferenciando de suas famílias de origem na tentativa conceber um novo modo de relacionamento.

Os mitos quando resistentes na família, podem desorganizar e ser causador de grandes rupturas e estigmas no núcleo familiar. É notória a dificuldade que algumas famílias tem em aceitar as diferenças, acreditando que o grupo deve pensar e agir comumente, ignorando a singularidade de cada membro.

Muitos pais antes mesmo do nascimento do filho tende a idealizar seu futuro, depositando na criança todas suas perspectivas. Porém durante a seu desenvolvimento a criança começa a entrar em contato com outros modelos de família, colocando a prova, a educação, formação e valores recebidos.

Os conflitos podem ser percebidos no inicio da adolescência, quando o adolescente começa a questionar e confrontar tudo que foi/esta sendo transmitido pelos pais, essa forma muito utilizada pelos jovens tem o objetivo de fazer valer suas escolhas, que em alguns momentos diverge a dos pais.

Todas essas questões relacionadas a pais, filhos, futuro, pode ser um componente de angústia e gerador de conflitos para a família, quebrando ou até mesmo bloqueando as relações.

Ao crescer, o filho tende a comparar e buscar identificações diferentes das transmitidas pela família, passando a questionar alguns atitudes, causando com isso estresse no sistema familiar, sendo necessário um período de adaptação.

Estas etapas do ciclo de vida são importantes tanto para a formação do grupo familiar, quanto para a formação do sujeito, exigi um pouco de cautela, pois, se de um lado esta a cúpula da família tentando resistir as mudanças, de outro estão os conflitos visíveis apontando para uma necessidade das mesmas.

No intuito de preservar os mitos a família tende a designar um de seus membros como sucessor, o responsável pela preservação e manutenção dos mitos, isso pode ser observado mediante as escolhas profissionais, matrimoniais ou mesmo na forma de educar.

É de suma importância para que haja convivência sadia entre do grupo familiar aceitar a individualidade de cada membro, respeitando os espaços, colaborando para o desenvolvimento independente. Dando oportunidade para cada integrante da familia se descobrem autores de suas histórias, possibilitando assim o crescimento individual e ao mesmo tempo coletivo.

O que se observa muitas vezes no sistema familiar é a dificuldade em quebrar barreiras, a uma busca repetida, por velhas e conhecidas histórias. Desse modo, a família criará uma barra protetora para a manutenção e naturalmente as repetições dos mitos, com forma de preservação.

Porém não é certo dizer que os mitos familiares são de todo ruim, eles possibilitam o resgate cultural de modo à adapta-la ao novo contexto social, facilitando e trazendo uma nova forma de dialogo para a família e sociedade. Mostrando uma visão panorâmica do passado, presente e futuro, tornando possível outras formas de relacionamentos e convivência.

Quando a família perceber que não precisa se cauterizar, porém fortalecer seus vínculos de forma livre e respeitosa, a convivência se tornará mais sadia para todos, e juntos poderão compartilhar de experiências e crescimento.

"Cada um compõe a sua história, cada ser em si carrega o dom capaz, e ser feliz". (Almir Sater)



Jacqueline Meireles
Psicóloga/Consultora

Um comentário:

Deixe seu comentário, participe dessa construção!